A novidade do momento é a transferência de Alexis Sánchez para o Manchester United que será o seu sétimo clube no qual joga em toda a sua carreira, porém, sabem por quais equipes ele já jogou?

Qual foi o primeiro clube que defendeu?

Alexis Alejandro Sánchez Sánchez nasceu no dia 19 de dezembro de 1988 em Tocopilla no Chile, apesar de uma infância humilde ainda assim conseguiu realizar o seu sonho que era ser jogador de futebol.

Em 2004, Alexis Sánchez conseguiu chamar a atenção dos dirigentes do Cobreloa e do treinador da equipe principal (Nelson Acosta: ex-técnico da Seleção do Chile de 1996 até 2001) naquela época.

No dia 12 de fevereiro de 2005 quando ainda tinha 16 anos de idade no estádio Municipal em Calama, partida entre Cobreloa e Deportes Temuco, Alexis Sánchez teve a sua primeira oportunidade como jogador profissional: entrou aos 32 minutos do segundo tempo. O placar deste jogo antes de Sánchez sair do banco era de 4×4 e após a entrada do atleta no decorrer da partida o placar foi de 5×4 para o Cobreloa.

(o vídeo acima mostra o primeiro gol de Alexis Sánchez com a camisa do Cobreloa, além disso, este foi o seu primeiro gol como profissional)

No mês seguinte Alexis Sánchez estreou em uma competição continental (Copa Libertadores da América) tornando-se um dos jogadores mais jovens a disputar esta competição.

No mesmo ano (2005) ele também estreou pela Seleção chilena no sul-americano sub-17, torneio que foi disputado na Venezuela, no entanto, o Chile não obteve êxito neste campeonato (eliminados na primeira fase da competição).

No ano seguinte (2006) após 47 jogos com a camisa do Cobreloa o até então jovem de 17 anos anotou 12 gols. Não demorou muito e este jovem chamou a atenção de clubes da Europa e a Udinese da Itália não hesitou ao contratá-lo por cerca de US$ 3.000.000,00 (3 milhões de dólares).

Sem muita rodagem (experiência) o clube italiano optou por emprestá-lo ao Colo-Colo para que ele adquirisse mais experiência, mas mesmo sendo um dos reservas da equipe (o Colo-Colo de 2006 contava com atletas como Jorge Valdivia que o torcedor do Palmeiras conhece muito bem, Humberto Suazo e Matías Fernández) era constantemente usado pelo técnico Claudio Borghi e em 48 jogos disputados pelos Albos (Colo-Colo) o Alexis Sánchez anotou 9 gols, além de participar das conquistas de títulos como Clausura e Apertura daquele ano (2006), ainda convém lembrar que no mesmo ano (2006) ele foi convocado pela primeira vez pela Seleção principal do seu país pelo mesmo técnico que lhe deu a primeira oportunidade como profissional. Obviamente estamos falando de Nelson Acosta que desde 2005 (em mais uma passagem como técnico pela Seleção do Chile, foi treinador de 2005 até 2007) era o treinador da Seleção da La Roja (Chile).

Mesmo após esta passagem pelo Colo-Colo os dirigentes da Udinese ainda sentiam que ele não estava pronto e optaram por emprestá-lo novamente, mas desta vez o destino de Alexis Sánchez não foi o seu país e sim a Argentina (desta vez foi emprestado para o River Plate).

O ano da vez é 2007, pois neste ano “El niño maravilla” (Alexis Sánchez) foi convocado para disputar o mundial sub-20 no Canadá. Esta Seleção sub-20 contava com jogadores como Arturo Vidal (atualmente jogador do Bayern de Munique da Alemanha), Mauricio Isla (atualmente joga pelo Fenerbahçe da Túrquia) e Gary Medel (atualmente joga pelo Besikitas da Túrquia) além do próprio Alexis Sánchez. “El niño maravilla” fez um bom Mundial ao lado destes jogadores que acabei de citar, levando “La Roja” ao terceiro lugar daquele Mundial terminando a competição com um gol e uma assistência em quatro jogos.

Já com a camisa dos “millonarios” (River Plate), ele foi comandado por Daniel Passarella (ex-treinador das Seleções da Argentina e do Uruguai) que era e ainda é um dos maiores ídolos da equipe “millonaria” e assim como os treinadores anteriores ele também via potencial neste jovem chileno e apostava nele sempre que podia e em uma dessas oportunidades que ele deu ao jovem chileno (29 de agosto de 2007 para ser preciso), um jogo onde o River Plate estava empatado em 2×2 com o Estudiantes e no decorrer da partida (Alexis Sánchez entrou aos 37 minutos do segundo tempo) “el niño maravilla” entrou no lugar do experiente Ariel Ortega e mudou a cara da partida, pois não demorou muito e anotou o terceiro gol do River Plate e os “millionarios” venceram este jogo pelo placar de 4×2.

Contudo, no mês seguinte quando estava conseguindo “cavar” uma vaga entre os titulares do River Plate ele sofre uma grave lesão que o afastou dos gramados pelo resto daquela temporada e isso também fez com que ele perdesse algumas das partidas para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010.

Com o fim desta temporada e em decorrência da décima quarta colocação no campeonato a diretoria dos “millonarios” (River Plate) decidiu fazer uma reformulação na comissão técnica e no elenco e com a saída de Daniel Passarella o novo comandante do River Plate passou a ser o Diego Simeone (atualmente é o técnico do Atlético de Madrid da Espanha) e coincidência ou não Alexis Sánchez foi um dos únicos que continuou no grupo.

A troca de comando fez bem ao chileno, pois ele passou a ser escalado entre os titulares e não demorou para Alexis Sánchez se tornar um dos destaques da equipe ao lado de nomes como Loco Abreu (atualmente joga pelo Audax Italiano do Chile e é um atleta conhecido pelo brasileiro por ter vestido a camisa do Botafogo) e o Radamel Falcao (também conhecido como Falcao García e atualmente é jogador do Mônaco da França).

Apesar do “el niño maravilla” ter sido recuado para a ponta direita, fazendo com que Radamel Falcao jogasse mais próximo ao gol, o time se encaixou de uma forma que inegavelmente os resultados apareceram logo, pois no primeiro semestre de 2008 a equipe sagrava-se campeã do Clausura, portanto, por ter jogado mais recuado Alexis Sánchez encerrou sua passagem pelos “millionarios” anotando 4 gols em 23 partidas disputadas porque em junho daquele ano seu contrato de empréstimo com o River Plate chegava ao fim e com mais experiência e mais maduro “el niño maravilla” retornava a Udinese em condições de disputar a titularidade pela equipe italiana.

A transformação daquele garoto “franzino” dos tempos de Cobreloa para este “novo” Alexis Sánchez que você está vendo na imagem abaixo é nítida e pode-se notar que mesmo com o ganho de massa muscular ele não perdeu os seus pontos mais fortes que são a velocidade e a agilidade nos dribles. Somente no dia 22 de julho de 2008 Alexis Sánchez anotou o seu primeiro gol pelo clube que o contratará em 2006 e daí em diante tanto os gols como as assistências ocorreram com mais frequência.

Ao mesmo tempo em que se destacava pela Udinese “el niño maravilla” também passou a ter grandes atuações com a camisa da “La Roja” (Seleção do Chile), como se não bastasse passou a ser um dos pilares do Chile da Copa do Mundo de 2010 (que tinha Marcelo Bielsa como treinador daquela Seleção), mesmo na época tendo apenas 21 anos de idade. “La Roja” conseguiu se classificar para as oitavas de final da Copa de 2010 (mesmo disputando vaga no grupo da Seleção que viria a ser a campeã daquele Mundial: a Espanha), porém caiu diante do Brasil que na época era comandado por Carlos Caetano Bledorn Verri (Dunga).

Após 3 temporadas jogando na Itália (2008/09, 2009/10 e 2010/11), mais especificamente jogando pela Udinese, na sua última temporada defendendo este clube mais uma vez ele teve de ser recuado na sua carreira e assim sendo formou uma dupla “infernal” com o atacante italiano Antonio Di Natale de modo que os dois juntos foram responsáveis por 40 gols (destes 40 gols 12 deles foram marcados pelo chileno) e surpreendemente a Udinese terminou o campeonato na frente de equipes como Lazio, Roma e Juventus, ainda convém lembrar que além dos 12 gols marcados o chileno ainda deu 10 passes para gol (10 assistências) naquela temporada, deste modo não tinha como o chileno não ser notado e desta vez chamou a atenção de Pep Guardiola (em 2010/11 o espanhol era treinador do Barcelona e atualmente comanda o Manchester City da Inglaterra), mas eis a questão: “el niño maravilla” teria no Barcelona o mesmo sucesso que teve na Udinese?

Sem sombra de dúvidas a chegada do “niño maravilla” a Catalunha gerou muita expectativa, mas nem tudo são “flores”, em outras palavras: Alexis Sánchez chegou como uma “ameaça” a um trio composto por Lionel Messi, Pedro Rodríguez (atualmente joga pelo Chelsea) e David Villa (atualmente joga pelo New York City), porém diferentemente da sua última passagem pela Udinese, salvo lampejos, ele não conseguiu repetir no Barcelona o que fez nas temporadas anteriores atuando pela Udinese, ainda assim mesmo sendo questionado, na temporada 2012/13 (Barcelona sob o comando de Tito Vilanova) ele anotou 11 gols na “La Liga” num total de 23 partidas disputadas.

Na temporada seguinte (2013/14) os números de Alexis Sánchez foram os melhores desde que chegou ao time blaugrana (Barcelona), pois anotou 20 gols, naquela temporada e com a saída de David Villa, inegavelmente Alexis Sánchez se tornou o titular da equipe naquela época mesmo com a chegada de Neymar (atualmente é jogador do Paris Saint-Germain), por outro lado mesmo “el niño maravilla” não se sentia bem com a camisa do Barcelona. O motivo foi a declaração que ele deu em uma entrevista no mês de setembro de 2013 ao periódico “El País” onde ele afirma que jogar pelo Barcelona era muito difícil.

Lá ele teve de aprender futebol de novo e o que ele fazia na Itália ele não podia fazer lá na Espanha jogando com a camisa do Barcelona porque antes de driblar e aproveitar o um contra um ele tinha de abrir o campo e encontrar espaços, apesar da confiança que o Guardiola sempre passava para ele.

Entretanto com a camisa da Seleção do Chile as coisas caminhavam muito bem a ponto do “niño maravilla” até então sob o comando do argentino Jorge Sampaolli (atual treinador da Seleção da Argentina) ser um dos artilheiros com 4 gols em 12 jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014 ao lado de jogadores como Lionel Messi, Luís Suárez e Radamel Falcao.

“La Roja” tinha uma equipe tão forte para a Copa de 2014 que se classificou num grupo que contava com a atual campeã do último Mundial (a Espanha era a atual campeã), além da tradicional “laranja mecânica” (Holanda).

Antes de enfrentar o Brasil novamente pelas oitavas de final de um Mundial parece que Luiz Felipe Scolari (Felipão) já previa a dificuldade que o Brasil teria pela frente ao dar a seguinte declaração para o “Esporte Espetacular”: É muito chato de jogar, é um time bem organizado, eles são inteligentes, têm um time bom, e o sistema deles não encaixa com nosso sistema. É melhor jogar com um europeu.”

Com toda a certeza Felipão tinha razão e após 120 minutos com a igualdade no placar (1×1) e com muita luta e o gol da “La Roja” tendo sido anotado por “niño maravilla” o Chile mais uma vez cai nas oitavas de final diante da Seleção brasileira.

Voltando a falar do clube pelo qual Alexis Sánchez atuava naquela época, o próximo treinador que veio a comandar a equipe catalã (Barcelona) foi o argentino Tata Martino (após a Copa do Mundo de 2014 ele passou a ser o técnico da Seleção da Argentina, mas não permaneceu no cargo até o fim das Eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2018) que passou a ativá-lo a todo custo, mas no fim das contas com a chegada de Luis Suárez a equipe catalã a diretoria agiu de forma correta ao vendê-lo para o Arsenal da Inglaterra pelas seguintes razões: dificilmente seria titular com a chegada de Suárez numa equipe que já contava com Messi e Neymar e vale ressaltar que Pedro era xodó da torcida e nunca precisou jogar “pressionado”, o contrário do Chileno.

Com exceção da “La Roja” não ter conseguido a classificação para a Copa do Mundo de 2018, de 2015 em diante “el niño maravilla” deslanchou tanto pela sua nova equipe como pela Seleção de seu país.

Chegou ao Arsenal em julho de 2014 sendo contratado por um valor de aproximadamente 35 milhões de libras esterlinas (Arsene Wenger era contrário a esses valores), ou seja, chegou para ser uma solução imediata e correspondeu as expectativas logo na sua primeira temporada (2014/15) com a camisa dos Gunners (Arsenal) por ter sido o quinto maior goleador da PL (Premier League) da temporada 2014/15 ao anotar 16 gols, mas no total após 32 partidas disputadas por competições como PL, EFL Cup, FA Cup e UEFA Champions League ele foi as redes 18 vezes, provendo 9 assistências aos seus companheiros de equipe, ver sua equipe terminar em terceiro colocado (atrás apenas de Chelsea que foi o campeão e do Manchester City), e isso sem contar que ele impressionou o seu último comandante naquela época a ponto de Arsene Wenger dar a seguinte declaração ao SkySports: Ele teve uma das adaptações mais rápidas na Premier League que já vi. Acredito que seja porque ele se sente aceito pelos outros jogadores. Ele sente que é um jogador importante no elenco. Sánchez é um jogador que pode jogar pelo centro, mas de forma diferente de Olivier Giroud, por causa de sua mobilidade.”

Os elogios ao chileno não param por aí, um dos maiores ídolos da história do Arsenal: o francês Thierry Henry também deu o seu depoimento ao SkySports:“(Sánchez) É a melhor contratação (do Arsenal) nos últimos seis anos”.

Na temporada seguinte 2015/16 “el niño maravilla” foi um dos 10 maiores goleadores da Premier League ao anotar 13 gols após 38 rodadas e ver a sua equipe ficar atrás do surpreendente Leicester (campeão da PL 2015/16) e ao lado de Neymar e do francês Kingsley Coman (jogador do Bayern de Munique da Alemanha) foi o líder em assistências da Liga dos Campeões da Europa (UEFA Champions League).

Em 2016/17 seus números foram ainda melhores com a equipe do Arsenal, pois ele foi o terceiro maior goleador da Premier League (só perdeu em gols para Harry Kane do Tottenham e Romelu Lukaku que na época atuava com a camisa do Everton), além disso “el niño maravilla” foi o quinto jogador com mais assistências na PL daquela temporada, apesar dos Gunners terem terminado o campeonato na quinta colocação e consequentemente não obtendo a classificação para a UEFA Champions League 2017/18.

Na atual temporada (2017/18) Alexis Sánchez acaba de se transferir para outra equipe da Terra da Rainha (Manchester United), mas já disputou 27 partidas com a camisa do Arsenal e até aqui fez 9 gols e proveu 6 assistências para seus companheiros.

Quanto aos valores da sua contratação de acordo com o site “O Globo” o Manchester United teve de desembolsar 30 milhões de libras, além de ceder o armênio Henrikh Mkhitaryan ao Arsenal para ter o chileno em definitivo. O contrato do “niño maravilla” é valido por quatro anos e ele receberá 505 mil libras por semana (cerca de 2 milhões de reais).

Para concluir não podemos nos esquecer dos seus números servindo o seu país, ainda por cima também não podemos esquecer que ano passado (2017) Alexis Sánchez quebrou dois recordes defendendo o seu país: juntamente com Cláudio Bravo é o jogador que mais vezes vestiu a camisa da “La Roja” (119 vezes) e também é o jogador que mais marcou gols pela Seleção do Chile (39 gols) ultrapassando a marca que pertencia a Marcelo Salas que anotou 37 gols em 70 partidas.

(este vídeo foi postado no dia 4 de janeiro de 2017 no YouTube e aqui pode-se ver muitos dos gols de Alexis Sánchez ao longo de sua carreira)

Em vista dos números apresentados até aqui sem dúvida alguma este chileno é um dos melhores atacantes do Mundo.

 
Ofertas de Uniformes de Futebol: https://amzn.to/36vetfs
Ofertas de Chuteiras e Acessórios: https://amzn.to/35n4JoA
Ofertas de Quadros Decorativos de Futebol: https://amzn.to/3ngWHDy
Siga o Futebol Stats também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"  
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor, digite seu nome aqui